sexta-feira, 2 de setembro de 2011

You're always amazed when someone gets hurt



the magnetic fields | my sentimental melody

Algumas pessoas vendem o seu sangue. Tu vendes o teu coração.
Era isso ou a alma.
A parte difícil é tirar a maldita coisa para fora.
Uma espécie de torção. Como abrir uma ostra,
a tua espinha, um pulso,
e depois, upa! Está na tua boca.
Viras-te parcialmente do avesso
como uma anémona do mar a cuspir um seixo.
Há um plop quebrado, o som
de vísceras de peixe a cair num balde.
E ali está, um enorme coágulo vermelho escuro
do passado ainda-vivo, a cintilar inteiro no prato.
Vai passando de mão em mão. É escorregadio. É deixado cair.
Mas também degustado. Muito grosseiro, diz um. Muito salgado.
Muito amargo, diz outro, fazendo uma cara.
Cada um é um gourmet instantâneo,
e tu ficas a ouvir isto tudo
a um canto, como um empregado de mesa recém-contratado,
a tua mão tímida e habilidosa na ferida escondida
no fundo da camisa e peito,
timidamente, sem coração.

Margaret Atwood
(Tradução: Maria Sousa)

4 comentários:

josé luís disse...

"everyone thinks writers must know more about the inside of the human head, but that is wrong. they know less, that's why they write. trying to find out what everyone else takes for granted."
- miss atwood [being didactic... ;)]

ps: thank you for the song. i love the magnetic fields.

Vanessa disse...

obrigada eu.

(cada vez escrevo menos. mas sou toda música.)

:)

josé luís disse...

a minha favorita (quase um auto-retrato?):
http://youtu.be/FE8Uut3YRdw

paula disse...

um murro no estômago, este poema.