quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Num mar de sargaços

portishead | undenied

Passeámos a noite inteira entre sândalos
na noite em que passeámos sem nos olharmos
num bosque de sândalos num mar de sargaços
disse-te eu imerso na noite em que não acreditava
quando acordaste e eu acordei a teu lado
sem noite sem sândalos sem mar em que acreditar
apenas a justa medida de um olhar no lado sombrio
do teu corpo desperto que sonhou no tom adequado
sobre um chão de terra virgem acabado de semear.

Carlos Alberto Machado

1 comentário:

Eros disse...

Gibbons em fundo fica divinal, aqui.