quinta-feira, 25 de junho de 2015

Os corações também se abatem.

nancy sinatra | bang bang

Li algures. Se te dissesse que deixei de escrever, mentiria. Procuro em cada palavra uma tábua de salvação. Para que o coração não morra. De pouco me serve. Os corações também se abatem. Quanto a isso nada a fazer. Voltei a ler. Sofregamente. Sempre à espera de uma história que me permita esquecer a minha. A ficção sempre supera a realidade, não achas? Continuo a preferir dramas, cenas tristes, tragédias e afins. Poesia que arde no peito. Julguei um dia ser capaz de escrever um poema de amor para ti. Que tonta fui. Devia saber de antemão que a mim só servem os caminhos difíceis. Ainda não aprendi. Voltei a ouvir música com a mesma vontade de antigamente - a prestar atenção a cada detalhe. Voltei a mim, a meter-me para dentro como um novelo de lã. Sei que não é boa ideia. Mas os corações também se abatem, é verdade. E tudo o que escrevo é melhor do que morrer. Tudo o que escrevo é lixo. Mas é meu. E o coração também, antes que me esqueça.

4 comentários:

tintanobolso disse...

Ja la dizia o zappa you are what you is

Ana P disse...

Eu conheço poemas capazes de sarar feridas
E discordo : não é lixo. É muito bom...mesmo que doa

deep disse...

Triste, mas muito bonito. Também discordo: o que escreve é muito bom.

© Piedade Araújo Sol disse...

muito bom...tudo o que escreve!

:)